sábado, 1 de outubro de 2011

Porque chora Jeremias ?


“Por essas coisas, choro eu; os meus olhos, os meus olhos se desfazem em águas; porque se afastou de mim o consolador que devia restaurar a minha alma; os meus filhos estão desolados, porque prevaleceu o inimigo” (Lm 1.16)
Enxergo uma igreja hoje muito conectada a idéia: “ Estamos felizes estamos bem!”.  Qual  seria o motivo de tamanha alegria? O crescimento numérico (a quantidade aumentou, mas a qualidade caiu)! Poderiamos  comemorar os novos templos luxuosos, as cadeiras almofadadas, as pessoas ricas (atores, atrizes, políticos, jogadores de futebol) que estão aderindo ao “ Igrejianismo” – Com certeza seria um motivo para uma reação sim, mas não o sorriso! Seria o momento exato para pararmos e começarmos a chorar pela situação em que estamos. Pena que a igreja moderna arrancou do seu vocabulário a palavra tristeza e substituiu pela “unção do riso”. Será que Jeremias chorava porque na sua época, afinal ele era um homem abençoado, deveria está sempre sorrindo, ou será que não?
Se pudéssemos perguntar para ele, porque choras Jeremias, o que o profeta iria responder?
Antes de responder essas questões, gostaria de explicar quem é esse profeta que tanto chorou. É conhecido de todos que o profeta Jeremias é o profeta das lágrimas e não dos risos. O inicio do ministério de Jeremias foi marcado por uma declaração do próprio Deus: “Pelejarão contra ti, mas não prevalecerão contra ti” (Jr 1.19). Essas pessoas que pelejariam contra Jeremias não eram estrangeiras pessoas desconhecidas, não eram inimigos naturais de Israel, mas eram os sacerdotes, profetas, anciões e todo o povo. (Jr 16.11)
Jeremias tinha uma missão complicada, pois ele iria pregar uma mensagem que o povo não queria escutar (Jr 44.17). Pregaria para um povo dividido entre a  quem adorar e a quem servir, de um lado estava Deus e do outro a “rainha dos céus” (Jr 44.17) ele teria que denunciar essa falsa religiosidade.
Jeremias nessa árdua missão não seria questionado e perseguido apenas no campo das ideias; com afrontas, insultos, desprezo não, ele sofreria fisicamente também. Em um determinado momento ele foi colocado em um calabouço (Jr 38.6) em outro foi agredido por um profeta (Jr 28.10).
Se perguntássemos, por que choras Jeremias? Ele diria: Choro porque o meu povo fez duas maldades; deixaram o Senhor e cavaram para si, cisternas rotas (Jr 2.13).
Por que choras Jeremias? Choro porque o meu povo foi iludido com palavras falsas, pois lhes dizem: templo do Senhor, templo do Senhor, templo do Senhor é este e envolvidos pelo formalismo, não conhecem o seu Deus. (Jr 7.4)
Por que choras Jeremias? Choro porque o Senhor me “iludiu” e iludido fiquei (Jr 20.7), ser profeta não é fácil.
Por que choras Jeremias? Choro porque os profetas viram maldade e loucura para o meu povo. (Lm 2.14). Pregaram uma falsa prosperidade e uma vitória que nunca chegou (Jr 28.11)
Por que choras Jeremias? Porque as mãos das mulheres piedosas cozeram seus próprios filhos; serviram-lhes de alimento na destruição da filha do meu povo.(Lm 4.10)
Por que choras Jeremias? Porque eu sou o homem que viu a aflição por causa dos juízos do Senhor sobre a filha do meu povo (Lm 3.1).
Se nos perguntarem, por que choras? Diria:
Por essas coisas, choro eu; vejo alguns na igreja em busca de “cisternas rotas” enquanto o Senhor permanece dizendo: “Quem tem sede venha a mim e beba”
Por essas coisas, choro eu; as maiores oposições ao ministério não são externas, mas internas.
Por essas coisas, choro eu; parece que o povo tem facilidade de acreditar em falsos profetas da prosperidade e o resultado é pregadores ricos e ovelhas pobres.
Por essas coisas, choro eu; porque vejo a aflição alguns crentes por causa do juízo de Deus sobre as suas vidas em conseqüência da desobediência.
Por essas coisas, choro eu; porque vejo o inimigo prevalecendo em algumas áreas e a igreja ficando em posição de defesa quando deveria atacar.
Meus irmãos; resta-nos fazer a oração de Jeremias:

“Converte-nos, Senhor, a ti, e nós nos converteremos; renova os nossos dias como dantes” (Lm 5.21)
Que Deus nos ajude ...

Um comentário:

"Se amássemos mais a glória de Deus, se nos importássemos mais com o bem eterno das almas dos homens, não nos recusaríamos a nos engajar em uma controvérsia necessária, quando a verdade do evangelho estivesse em jogo. A ordenança apostólica é clara. Devemos “manter a verdade em amor", não sendo nem desleais no nosso amor, nem sem amor na nossa verdade, mas mantendo os dois em equilíbrio (...) A atividade apropriada aos cristãos professos que discordam uns dos outros não é a de ignorar, nem de esconder, nem mesmo minimizar suas diferenças, mas discuti-las." John Stott

Deixe seu comentario, sua critica, tenha liberdade para dar sua opinião

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...